BEM-VINDO!

O PRAXIS-EA/UFMG é grupo de pesquisa do CNPq, sediado pelo Departamento de Projetos (PRJ) e pelo Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo (NPGAU) da Escola de Arquitetura da UFMG (EA/UFMG), com projetos financiados e/ou apoiados por CNPq, Capes, PRPq e ProEx/UFMG, Ford Foundation, FUSP e Fapemig. O grupo participou do Programa Grupos de Pesquisa do Instituto de Estudos Avançados Transdisciplinares (IEAT/UFMG – 2021-2023).

O grupo agrega pesquisadores da EA/UFMG e de outras instituições, graduandos e pós-graduandos, com o objetivo comum de investigar o espaço urbano como meio estruturado e estruturante da vida cotidiana.

leia mais

Livro download gratuito

“O sistema de exclusão na cidade neoliberal brasileira pode ser pensado como resultado de um desencantamento intelectual transformado em potência criativa. Denise Morado nos convida a percorrer seu caminho de busca por novos instrumentos metodológicos capazes de desvendar as percepções e (re)ações dos dominados às práticas excludentes que conformam a vida urbana brasileira, desnaturalizando o “sistema de exclusão”. Trata-se de uma busca motivada pela frustração frente à falta de efetividade do conhecimento produzido pelos estudos urbanos na construção de uma cidade mais justa. Frustração de uma intelectual que há anos se embrenha nas periferias da grande metrópole e se compromete com os que ali vivem, tentando apreender e compreender a complexidade da produção desses lugares. Os anos passam e a tragédia urbana se aprofunda.” [Luciana Lago, UFRJ]
.
“Neste livro, O sistema de exclusão na cidade neoliberal brasileira, Denise Morado lança seu olhar sensível e técnico, incansável e investigativo sobre a cidade, buscando compreender o fenômeno da exclusão, estrutura sustentada por sintomatologias recorrentes”. [Jussara César e Melo, Instituto Jung MG]

Clique aqui.

NOTÍCIAS

2 weeks ago

Praxis Ea-ufmg

DISSERTAÇÃO DE MESTRADO
apresentada por Bianca Feijão de Meneses, sob orientação da Profa. Denise Morado.
.
Historicamente, a necessidade de dispor de um lugar para morar, considerando o contexto brasileiro de não atendimento de direitos, motiva a provisão de moradia por seus moradores (voluntária ou involuntariamente), os quais adquirem condição central em um processo simultaneamente inventivo e passível de violências. Tal prática consiste no universo de estudo desta dissertação de mestrado: a moradia popular autoconstruída, cuja leitura se pauta, sobretudo – e para além das camadas de estigmas –, na condução autônoma do processo de decisão do morador sobre a sua própria moradia. Essa leitura permite traçar um paralelo com reflexões dos anos 1960, especificamente a Teoria dos Suportes, de John Habraken, fundamentada no resgate da relação estabelecida entre morador e moradia. Tal relação torna-se possível mediante um processo colaborativo, baseado na conciliação das tomadas de decisão de diferentes agentes, que hoje encontra lugar na abordagem teórico-metodológico-propositiva da Arquitetura Aberta. [...] Pergunta de pesquisa: de que modo a interseção entre a moradia popular autoconstruída e a Arquitetura Aberta pode embasar um processo compartilhado de projeto, construção e uso na produção contemporânea de moradia? Propõe-se uma Arquitetura-Suporte para a Moradia Popular: um conjunto de estratégias de projeto para um processo compartilhado de produção de moradia, pautado no reposicionamento do arquiteto e urbanista e na proposição de um suporte habitável, seguro e flexível, a partir do qual os moradores possam decidir conforme suas necessidades, preferências e disposições. Por fim, foi elaborado um documento técnico destinado, inicialmente, a contribuir com as práticas arquitetônicas e seus colaboradores, compilando todas as estratégias desenvolvidas para uma possível incorporação em projetos arquitetônicos de moradia popular.
.
Link: praxis.arq.ufmg.br/producao
... See MoreSee Less

View on Facebook

4 weeks ago

Praxis Ea-ufmg

BOLSA DE EXTENSÃO
Projeto de extensão: Diálogos.
[praxis.arq.ufmg.br/blog/dialogos/dialogos.html e
sistemas.ufmg.br/siex]
Coordenação: Profa. Denise Morado
.
Requisitos:
. matrícula regular na graduação em Arquitetura e Urbanismo UFMG, entre 3. período e 8. período no 1. sem. 2024;
. disposição para pesquisa no campo, leitura e escrita;
. conhecimento de softwares de georreferenciamento e de comunicação (wordpress, miro, blogs, etc).
.
Dedicação: 20 horas semanais, entre 01/03/2024 até 28/02/2025.
Bolsa ProEx/UFMG: R$ 700,00 por mês.
O estudante não poderá assumir outra bolsa, estágio, emprego ou outro tipo de remuneração.
.
Inscrição para o email: dmorado@gmail.com, até 22/02/2024 (enviar nome/telefone/histórico escolar UFMG/texto justificando o interesse pela pesquisa em 1 página).
.
Entrevista apenas presencial: 23/02/2024, às 16hs, na sala 312 (PRAXIS), na EA/UFMG.
... See MoreSee Less

View on Facebook

4 weeks ago

Praxis Ea-ufmg

ARTIGO
A prática da violência na sociedade neoliberal: análise das narrativas midiáticas em Belo Horizonte, por Denise Morado Nascimento, Bárbara Hoffmann Barbosa e Elena Oliveira Carneiro.
Revista Ação Midiática, UFPR, n. 27, 2024.
.
Nosso objetivo é identificar os domínios de conhecimento sobre a representação da violência em Minas Gerais presentes na mídia jornalística online. Recorremos à compreensão do neoliberalismo, como estrutura que rege a prática da sociedade contemporânea, e da propriedade, como o que confere existência ao indivíduo. Acatamos a compreensão de Pierre Bourdieu sobre as práticas linguísticas serem forma eficaz de violência simbólica, essencialmente operada na e pela linguagem. Por fim, analisamos narrativas extraídas de reportagens de jornais e as classificamos por meio da Teoria da Classificação Facetada de Ranganathan.
.
Disponível em [revistas.ufpr.br/acaomidiatica/article/view/91021]
... See MoreSee Less

View on Facebook