BEM-VINDO!

O PRAXIS-EA/UFMG é grupo de pesquisa do CNPq, sediado pelo Departamento de Projetos (PRJ) e pelo Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo (NPGAU) da Escola de Arquitetura da UFMG (EA/UFMG), com projetos financiados e/ou apoiados por CNPq, Capes, PRPq e ProEx/UFMG, Ford Foundation, FUSP e Fapemig. O grupo participou do Programa Grupos de Pesquisa do Instituto de Estudos Avançados Transdisciplinares (IEAT/UFMG – 2021-2023).

O grupo agrega pesquisadores da EA/UFMG e de outras instituições, graduandos e pós-graduandos, com o objetivo comum de investigar o espaço urbano como meio estruturado e estruturante da vida cotidiana.

leia mais

Livro download gratuito

“O sistema de exclusão na cidade neoliberal brasileira pode ser pensado como resultado de um desencantamento intelectual transformado em potência criativa. Denise Morado nos convida a percorrer seu caminho de busca por novos instrumentos metodológicos capazes de desvendar as percepções e (re)ações dos dominados às práticas excludentes que conformam a vida urbana brasileira, desnaturalizando o “sistema de exclusão”. Trata-se de uma busca motivada pela frustração frente à falta de efetividade do conhecimento produzido pelos estudos urbanos na construção de uma cidade mais justa. Frustração de uma intelectual que há anos se embrenha nas periferias da grande metrópole e se compromete com os que ali vivem, tentando apreender e compreender a complexidade da produção desses lugares. Os anos passam e a tragédia urbana se aprofunda.” [Luciana Lago, UFRJ]
.
“Neste livro, O sistema de exclusão na cidade neoliberal brasileira, Denise Morado lança seu olhar sensível e técnico, incansável e investigativo sobre a cidade, buscando compreender o fenômeno da exclusão, estrutura sustentada por sintomatologias recorrentes”. [Jussara César e Melo, Instituto Jung MG]

Clique aqui.

NOTÍCIAS

1 week ago

Praxis Ea-ufmg

ARTIGO
As instituições democráticas e a produção urbana no Brasil e em Belo Horizonte, por Carolina de Oliveira Almeida e Denise Morado Nascimento.
I Congresso Laboratório Social Urbano, 2024.
.
O artigo pretende retomar e fortalecer os processos democráticos de produção urbana. Para tanto, apresenta-se um breve resgate histórico da produção urbana no Brasil e da evolução das instituições democráticas para compreender como o percurso histórico e político contribuíram para a produção de cidades pouco democráticas, com destaque para os territórios populares de Belo Horizonte. O desenvolvimento inicia-se com as passagens (i) pela urbanização pretérita; (ii) pelo período da Era Vargas; (iii) pelo interregno democrático, que culmina (iv) no Golpe de 1964, alcançando o período de (v) redemocratização do país em meio à consolidação do neoliberalismo. Em seguida, são apresentadas as distinções mais latentes das teorias democráticas modernas que auxiliam a qualificação do contexto político da urbanização brasileira. Por fim, é feita uma localização desse contexto nos eixos de urbanização, no Brasil, e favelização, em Belo Horizonte, na tentativa de demonstrar que a produção urbana brasileira tem sido, historicamente, atrelada aos detentores dos processos políticos de decisão e dos mecanismos que regem as instituições democráticas, inexoravelmente distante dos pilares da democracia.
.
Disponível em:
<https://praxis.arq.ufmg.br/producao/>
... See MoreSee Less

View on Facebook

2 months ago

Praxis Ea-ufmg

Vamos ajudar! ... See MoreSee Less

View on Facebook

2 months ago

Praxis Ea-ufmg

Projeto de pesquisa: Outra lógica da prática para moradia e cidade: o direito de existir
[praxis.arq.ufmg.br/outra-logica-pratica/]
Coordenação: Profa. Denise Morado
.
Chamada n. 3: Territórios Minerários
Orientação: Profas. Monique Marques e Flora Passos (UFOP)
.
A partir da leitura dos territórios Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo, feita por representantes das comunidades atingidas, acompanhadas pela assessoria técnica, vem sendo identificados problemas recorrentes, a exemplo do padrão urbanístico com alto custo de manutenção; da ruptura das relações de vizinhança e das economias de troca e autoconsumo; falta de água em quantidade e qualidade suficientes; espaços de lazer centralizados; situação de risco associada a movimentações de terra; lotes com déficit de área e acentuada declividade; patologias nas construções em execução; além da grave ausência dos quintais para cultivo e criação de animais. As pessoas atingidas ainda lutam por uma reparação justa e integral dos danos, enquanto a Fundação Renova e mineradoras rés vem descumprindo acordos judiciais e demandas comunitárias. Sob este contexto, pretendemos investigar criticamente o modelo de planejamento urbanístico neoliberal implementado nos reassentamentos coletivos de Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo, comunidades atingidas de Mariana/MG pelo rompimento da barragem de Fundão, provocado pelas empresas Samarco/Vale/BHP.
.
Requisitos:
. matrícula regular na graduação UFOP em Arquitetura e Urbanismo, entre 3. período e 8. período no 1. sem. 2024;
. disposição para pesquisa no campo, leitura e escrita.
.
Dedicação: 20 horas semanais, entre 01/07/2024 a 01/07/2025.
Bolsa IC/CNPq: R$ 700,00 por mês.
.
O estudante não poderá assumir outra bolsa, estágio, emprego ou outro tipo de remuneração.
.
Inscrição para o email: monique.marques@ufop.edu.br e flora.passos@ufop.edu.br, até 20/05/2024 - enviar nome/telefone, histórico escolar UFOP, carta de intenção em arquivo pdf (400 a 600 palavras).
.
Entrevista: agendamento por email.
... See MoreSee Less

View on Facebook